Orquestra Real do Concertgebouw Amsterdam começa sua temporada em São Paulo com um concerto ao ar livre no Ibirapuera

orquestra

A Orquestra Real do Concertgebouw Amsterdam, uma das melhores sinfônicas do mundo, abre sua turnê sul-americana com uma apresentação gratuita ao ar livre no Parque Ibirapuera – às 11 horas da manhã do domingo 23 de Junho. O maestro Mariss Jansons escolheu para o concerto um repertório perfeito para agradar multidões: obras saborosas, envolventes, vibrantes. Entre elas, O trenzinho do caipira, de Villa-Lobos.

No ano em que completa 125 anos de atividade, a Orquestra Real do Concertgebouw Amsterdam comemora fazendo apresentações por todos os continentes. Agora é a vez da América do Sul, que terá três concertos em São Paulo – pela Cultura Artística – e ainda Rio de Janeiro e Buenos Aires.

Considerada uma das mais qualificadas do planeta, a orquestra holandesa começa a turnê sul-americana por São Paulo, com um grande concerto ao ar livre no Parque Ibirapuera, na manhã do domingo 23 de junho. Nos dias seguintes fará dois concertos na Sala São Paulo.

Sob regência de seu maestro titular, Mariss Jansons, a Orquestra do Concertgebouw estará no palco do Auditório Ibirapuera, aberta para o gramado do parque – tocando para um público de cerca de 15 mil pessoas.

Os 110 integrantes da orquestra apresentarão algumas das peças mais populares e empolgantes do repertório sinfônico. A festa começa com a primeira Rapsódia Romena de Enescu, passa por Prokofiev e Stravinsky e termina com a Farândola da suíte L’Arlésienne nº 2, de Bizet. Destaque-se no programa a presença de uma peça brasileira, o Trenzinho do caipira, de Villa-Lobos.

Experiência inesquecível – A Orquestra do Concertgebouw, fundada em 1888, tem como sede a mítica sala de concertos de mesmo nome, em Amsterdã. Por ocasião do seu 100º aniversário, em 1988, recebeu oficialmente da Rainha Beatrix a denominação “Real”.

A Orquestra Real do Concertgebouw Amsterdam é indiscutivelmente uma das melhores orquestras sinfônicas do mundo. Há décadas a crítica internacional tem elogiado seu som único, que se destaca entre inúmeros outros. Na impossibilidade de se descrever sons em palavras, muitos adjetivos têm sido usados: a seção de cordas, por exemplo, é qualificada de “veludo” e os metais de “dourados”…

Apesar de seu tamanho, a orquestra funciona como se fosse um grupo de câmara, tal o elevado nível individual de seus músicos e o grau de interação e senso de confiança mútua que reina entre eles. Isso torna sempre muito especial cada apresentação, e é para cada espectador uma experiência verdadeiramente inesquecível.

Mais de 1.100 gravações – Ao longo de seus 125 anos de história, a orquestra teve apenas seis maestros titulares. Atualmente, a direção está sob a batuta do letão Mariss Jansons, 70 anos completados em janeiro, que assumiu o posto em 2004.

A Orquestra Real do Concertgebouw Amesterdam realiza cerca de 150 concertos por ano (90 deles na Concertgebouw, em Amsterdã, os demais nas principais salas de concerto do mundo). Já lançou mais de 1.100 gravações (entre LPs, CDs e DVDs). Desde 2004 tem um selo próprio, RCO Live.

Tendo suas apresentações regularmente transmitidas por rádio e televisão através da rede holandesa AVRO, a Orquestra do Concertgebouw atinge a cada ano público da ordem de 250 mil espectadores.

Aliás, o concerto da Cultura Artística a ser realizado no Parque Ibirapuera terá transmissão ao vivo para o telão da Museumplein, grande praça onde estão três dos principais museus holandeses (Rijksmuseum, Van Gogh Museum e Stedelijk Museum). Quem vai captar as imagens, enviar o sinal para a Holanda e também transmitir ao vivo aqui no Brasil é a TV Cultura.

A Orquestra do Concertgebouw já esteve por quatro vezes em São Paulo. Em 1971, pela Cultura Artística, fez dois concertos no Teatro Municipal sob regência de Bernard Haitink. Em 1985, novamente sob a batuta de Haitink, fez três concertos no Palácio das Convenções do Anhembi e uma no Parque Ibirapuera. E depois em 1994 e em 1998, dirigida pelo maestro Riccardo Chailly.

Em 1994 houve também um concerto ao ar livre no Ibirapuera – o website da orquestra menciona essa apresentação, qualificando-a de “uma experiência especial tanto para a orquestra e para o público”.

Serviço

Cultura Artística 2013

Concerto gratuito ao ar livre

Parque do Ibirapuera

Domingo, 23 de junho às 11h

Orquestra Real do Concertgebouw Amssterdam

Mariss Jansons regência

Programa

George Enescu (1881-1955)

Rapsódia Romena Nº 1 em lá maior Op. 11

Sergei Prokofiev (1891-1953)

Suíte de Romeu e Julieta

Igor Stravinsky (1882-1971)

Suíte de O pássaro de fogo

Heitor Villa-Lobos (1887-1959)

O trenzinho do caipira (Toccata, 4º mov. da Bachianas Brasileiras nº 2)

Georges Bizet (1838-1875)

Farândola (4º mov. da suíte L’Arlésienne nº 2)

Parque Ibirapuera

Plateia externa do Auditório Ibirapuera

Av. Pedro Álvares Cabral s/nº

O principal acesso para pedestres é o portão 3, aberto a partir das 5 horas. Acesso para veículos pelos portões 3 e 7A.

Capacidade para 15 mil pessoas

Informações pelo tel. 3256-0223

Entrada franca

Duração: 60 minutos

Indicação etária: Livre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s